5 motivos para não levar trabalho para casa

5 motivos para não levar trabalho para casaVocê largou do trabalho, no caminho para casa verificou o e-mail profissional e respondeu as mensagens de algumas pessoas. Ao chegar em casa seu chefe enviou uma mensagem avisando das demandas para o dia seguinte e pedindo algumas informações. Observando o que teria que fazer no outro dia de trabalho, ficou nervoso. Percebeu que era muita coisa e que talvez o tempo do próximo expediente não fosse o suficiente. Por conta disso, começou de imediato a fazer as tarefas em casa mesmo, para dar tempo de entregar tudo.

Isso pode até fazer com que você ganhe créditos com seu chefe no dia posterior, mas  não fará com que você mereça nenhum mérito por ter levado o trabalho para casa. Muito pelo contrário, ser um workaholic, viciado em trabalho, não faz bem para a saúde e nem para o desempenho profissional. Se você não consegue se desligar do trabalho, conheça 5 motivos para não levar o trabalho para casa e como mudar seus hábitos.

1 Levar o trabalho para casa pode ser sinônimo de desorganização

O empregador contrata o funcionário para trabalhar durante uma carga horária que, em tese, deve ser o suficiente para que sejam desenvolvidas as atividades solicitadas. Caso o tempo não esteja sendo suficiente, há algum problema. O funcionário pode estar sendo sobrecarregado, voltaremos a falar disso no quinto e último motivo, ou pode estar transparecendo desorganização por não conseguir cumprir o que é necessário no tempo correto.
Em alguns casos específicos é necessário que se faça a famosa hora-extra. Prefira conversar com o seu superior e passar mais uma hora no trabalho a ter que levar o trabalho para casa e acabar virando a noite acordado. No ambiente profissional você possui um limite, já em casa pode cair no erro de não parar.

2 Você pode desenvolver problemas de saúde

Independente da sua profissão, o excesso de trabalho acabará provocando problemas de saúde. Os mais comuns estão ligados a dores no corpo e problemas psíquicos. As dores podem se apresentar por conta de movimentos repetitivos ou muito tempo na mesma posição, em pé ou sentado. Para evitar esse tipo de problema é possível fazer ginástica laboral.

Tome cuidado também com a alimentação. É de extrema importância respeitar os horários das refeições e se manter hidratado.

No grupo das disfunções psíquicas é possível desenvolver desde o estresse, até a depressão ou a síndrome de Burnout. Essa última doença é considerada o pior estágio que alguém pode chegar por conta do excesso de trabalho, desgaste físico e emocional. A síndrome de Burnout atua em três estágios diferentes: ansiedade, angústia e, por fim, a depressão.

3 Seus relacionamentos serão afetados

Engana-se quem pensa que levar o trabalho para casa é só realizar tarefas profissionais no lar. Os problemas do trabalho também precisam ser deixados lá. Do contrário, ao entrar em contato com parentes e amigos após o expediente você pode se tornar a pessoa negativa que só enxerga dificuldades. Chegando até a descontar o stress nas pessoas erradas.
Após o expediente procure arejar sua mente. Ainda no caminho para casa se permita pensar só nas coisas boas que lhe ocorreram durante o dia. Escute músicas que te façam se sentir bem. Ao chegar em casa cumprimente as pessoas que moram com você e se permita novamente ter um tempo para você. Tome um banho, passe uns minutos focando no que está acontecendo naquele momento. Quando alguém perguntar como foi seu dia, se dedique a falar das coisas boas, isso pode transformar seu humor.

4 Sua mente precisa de uma válvula de escape

Além do exercício diário de arejamento, é necessário que existam na sua semana válvulas de escape para a rotina. Isso pode ser feito através de exercícios físicos, como o kickboxing ou o crossfit, através de alguma aula de dança ou artes, ou qualquer outro hobbie que te faça se sentir bem e relaxar.
Não esqueça de aproveitar os momentos de folga e de não ficar adiando as férias. Os intervalos periódicos sem atividades de trabalho são fundamentais para o aumento da produtividade. Veja como relaxar nas férias.

5 O “não” pode ser uma resposta positiva

De nada adianta aceitar todas as demandas que são delegadas a você se não tiver como cumpri-las no prazo. Não aceitar algumas atividades ou negociar quando elas serão feitas é necessário para que não fique sobrecarregado. Para isso, apresente ao seu chefe a quantidade de encargos que já possui e negocie com ele o prazo para entrega das novas demandas. Lembre-se, não abuse da boa vontade, tenha bom senso.

Possui alguma dica para se desligar do trabalho? Compartilhe conosco nos comentários!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *