Conheça os 7 principais tipos de intercâmbio

Intercâmbio/FreepikFazer intercâmbio é o sonho de muitas pessoas. Um dos pontos iniciais para o planejamento da viagem é saber que tipo de intercâmbio fazer. Existem várias possibilidades, durante a escolha é essencial levar em conta as questões financeira e os objetivos que desejam ser alcançados com a viagem.

O termo intercâmbio remete a trocas e quem faz intercâmbio viaja com objetivos de fazer trocas, sejam culturais, educacionais ou profissionais. Listamos os 7 principais tipos de intercâmbio para deixar mais claro como funcionam cada um deles e te ajudar na escolha do mais se encaixa para o seu perfil. Veja!

Leia também: Cinco destinos de intercâmbio para estudantes de humanas

Intercâmbio para estudo de idiomas

Essa modalidade de intercâmbio tem como objetivo o aprendizado de uma nova língua. Tanto pode ser feia por pessoas que têm um nível inicial na língua estrangeira quanto por pessoas que já possuem um nível mais avançados e desejam evoluir ainda mais. O valor varia de acordo com o país e escola que irá estudar.

Intercâmbios voltados para o estudo idiomas costumam ter duração de um mês até um ano. Para pessoas que já possuem um nível muito elevado da língua pode ser feito um intercâmbio integrado, ou seja, que também esteja ligado a uma Instituição de Ensino Superior. Dessa forma, o aluno aprende um novo idioma e também melhora seu currículo.

Au Pair

Cuidar de crianças, ser pago por isso e se manter nos Estados Unidos com o que recebe da família contratante é o objetivo de quem deseja fazer intercâmbio do tipo Au Pair. Com esse tipo de programa é possível passar cerca de uma ano nos Estados Unidos. Além da remuneração, a família contratante ainda paga um curso para a babá.

Para viajar a partir dessa modalidade a pessoa precisa ser do sexo feminino, é muito raro homens serem selecionados pelas famílias, ter entre 18 e 26 anos, ter carteira de motorista, Ensino Médio completo e no mínimo 300 horas comprovadas de experiência com crianças.

Há também os programas de Au Pair para quem já tem experiência como professora no Brasil. Nesse caso o investimento inicial é maior, no entanto, a remuneração também é.

Graduação

Cursar a graduação fora do Brasil é possível. O estudante pode tanto cursar a graduação inteira em instituições estrangeiras quanto um semestre ou período específico. Para isso, é importante saber junto a instituição em que estuda em seu país de origem com quais universidades estrangeiras ela possui convênio e depois consultar uma agência de intercâmbio.

Para quem deseja cursar a graduação inteira fora do país, vale ficar atento aos editais das universidades estrangeiras para admissão de intercambistas e tentar aplicação. Uma boa agência de intercâmbio pode auxiliar em todo processo de escolha e aplicação para admissão. Estando atento também para universidades bem conceituadas que não se encontram em cidades que apresentam custo de vida alto.

Especialização profissional

Além do curso de graduação é possível fazer uma especialização profissional fora do país, como um mestrado, doutorado ou algum curso que ofereça capacitação específica para um aspecto da área de conhecimento estudada. Existe ainda a possibilidade de um mestrado ou doutorado sanduíche. Nesses casos o estudante inicia a pesquisa no Brasil e viaja por um período de 3 a 6 meses que pode variar de acordo com o objetivo da pesquisa.

Work and travel

Estudar e trabalhar também é um dos tipos de intercâmbio possíveis. Nesse caso, não necessariamente a viagem estará vinculada à uma instituição de ensino. A pessoas irá para outro país através de programas de trabalho que trarão mais experiência para o currículo, aprendizado da língua estrangeira e nova vivências interpessoais.

Voluntariado

O voluntariado é considerado uma das formas mais generosas de intercâmbio. Nessa modalidade a pessoa viajar para trabalhar voluntariamente em uma ONG ou outro tipo de organização que realiza trabalhos sociais. A partir das vivências vem o aprendizado, assim como no Work and travel, a melhora nas habilidades de fala e compreensão da língua é desenvolvida através do contato com outras pessoas.

Pessoas com +50

Intercâmbio não é só pra quem é jovem, muitas agências de turismo oferecem programas de viagens e aprendizado para pessoas mais velhas. Conhecido como 50+, esse tipo de viagem se destina a quem tem mais de 50 anos e deseja aprender um novo idioma. As turmas são formadas por pessoas da mesma idade vindas de países diferentes e, além disso, são feitas excursões e passeios em grupo para conhecer mais a cultura do local em que está. Os intercambistas também podem fazer outros cursos oferecidos regularmente no país, desde que não se incomodem em conviver com pessoas de diferentes idades.

Planeja fazer intercâmbio? Conte nos comentários o tipo que considera mais adequado para você!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *