Construindo sorrisos, curso de odontologia se destaca no mercado

por Camilla de Assis

Rafael Bandeira/LeiaJáImagens

Com 15% do total de dentistas no mundo, o Brasil é país com o maior número de profissionais da saúde bucal. Mesmo assim, o número ainda não é reflexo de bons quantitativos odontológicos.

Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 22 milhões de brasileiros nunca foram ao dentista e 75% dos idosos não têm nenhum dente.

Por isso, ainda assim é importante que mais estudantes alcancem a graduação de odontologia e consigam voltar seus tratamentos a atender a população mais necessitada.

No décimo e último período do curso superior de odontologia, Rejina Alves vê a profissão como construtora de sorrisos. “Minha contribuição social é poder devolver sorrisos, tirar dor de pacientes, ajudar o próximo, principalmente em pessoas carentes”, conta a jovem.

Dentro da odontologia, o objetivo da estudante é se especializar na área de próteses e, no futuro, abrir um consultório. “Ainda preciso angariar mais conhecimentos”, explica.

Rejina ainda aponta para uma realidade bastante importante da graduação: é preciso que o profissional tenha um contato humano com o paciente. “A partir do momento que você sai da graduação, você não é mais aquela pessoa que está aprendendo, você é um profissional que precisa fazer o melhor e ser o perfeito para o seu paciente”, declara a estudante.

Com cinco anos de graduação, o estudante de odontologia passa por diversas fases dentro do curso. Ao contrário do que muitos ingressos acham e querem, o lidar com os paciente só é possível após muita teoria adquirida. “Primeiramente os estudantes têm disciplinas básicas como anatomia, fisiologia, entre outras, para depois entrar na parte cirúrgica”, explica o professor e dentista Fernando Martorelli.

Na graduação também é preciso que o aluno tenha ou desenvolva algumas habilidades. “No curso de odontologia, a gente vai trabalhar com coisas pequenas, onde a gente vai exigir da nossa visão e vai precisar reproduzir para poder reestruturar aquele elemento dentário”, explica o docente. O conselho, segundo Martorelli é, durante a graduação, praticar essa competência manual.

CRO

Após a formação, em uma instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), é preciso que o dentista tenha registro no Conselho Regional de Odontologia (CRO) do Estado onde trabalha. Com ele, o cirurgião-dentista recebe uma carteira provisória, válida por dois anos, para exercer a profissão. Após o período, o bacharel em odontologia passa a ter sua certificação definitiva.

O Conselho atua na fiscalização do trabalho de dentistas, bem como na disciplina do funcionamento de estabelecimentos da área. Quando há alguma infração do profissional, o CRO julga os processos, por meio da comissão de ética e de plenário próprios. O Conselho Regional de Odontologia também é o responsável por aplicar sanções aos profissionais, que podem chegar à cassação do registro por cinco anos.

Áreas de atuação

Após os cinco anos de graduação, o dentista vai escolher qual área seguir. Ele pode cuidar da vaidade bucal das pessoas, com a odontologia estética; da saúde dos dentes de leite de crianças, com a odontopediatria ou até mesmo ser mais generalista, atuando na área de cirurgia geral. Confira abaixo nove oportunidades possíveis de caminhos específicos dentro da odontologia.

Cirurgia geral

Nesta função, o cirurgião-dentista irá ser generalista e tratar todas os procedimentos básicos e essenciais para manutenção de uma boa saúde bucal. O profissional será responsável por cuidar de dentes, lábios, língua, gengiva, examinar radiografias, fazer limpeza, aplicar flúor e fazer pequenas cirurgias.

Ortodontia

Nesse ramo, o dentista é o responsável pelo desenvolvimento da arcada dentária. É como ortodontista que o profissional poderá colocar aparelhos ortodônticos para corrigir a formação dos dentes de um paciente.

Saúde coletiva

Aqui, o dentista terá a função de promover a saúde preventiva da população. O profissional que deseja atuar em saúde coletiva pode trabalhar com planos de saúde e cooperativas, além de assistência a postos e unidades básicas.

Implantodontia

Para quem precisa colocar implantes dentários, o dentista especializado em implantodontia é o profissional responsável por inserir uma peça de titânio no interior do tecido ósseo, onde houve a perda do dente. Em seguida realiza a cirurgia de implante de próteses fixas ou removíveis, unitárias ou totais.

Traumatologia e cirurgia bucomaxilofacial

Nesta função, o dentista é o responsável por corrigir problemas e traumas da boca do paciente. Ele faz o diagnóstico de lesões, traumatismos e anomalias nas boca, face e no sistema de mastigação. Para corrigi-los, é preciso realizar cirurgias, implantes e enxerto para recuperação dos dentes.

Odontopediatria

Cuidar e preservar os dentes de leite é a principal função do odontopediatra, que trabalha com a saúde bucal de crianças. Um dos requisitos principais para atuar nessa área é ter paciência e saber lidar com os pequenos, para que eles aceitem o tratamento com tranquilidade e sem traumas.

Periodontia

Esse especialista cuida das gengivas e dos ossos que sustentam os dentes. O trabalho é de extrema importância, pois, assim, os periodontistas podem evitar problemas que afetam a estrutura da boca e podem causar inflamações de origem bacteriana.

Endodontia

Quem já precisou fazer um tratamento de canal, com certeza necessitou do serviço de um endodontista. Essa área está relacionada ao cuidado e tratamento de problemas relacionados à polpa dentária e raiz dos dentes.

Odontologia estética

Ter o sorriso mais branco e os dentes alinhados é o desejo de muitas pessoas. Mas além disso, o profissional que atua com estética também restaura a forma e função dos dentes, com uso de resinas, facetas, peelings gengivais, entre outros.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.