Empreender com pouco dinheiro: inúmeros riscos e um só caminho para o sucesso

Imagem: Pixabay/reprodução

Com a escassez de vagas no mercado de trabalho aliada ao sonho de ser “seu próprio chefe”, o Brasil bateu recorde e atingiu o número de 52 milhões de empreendedores em 2019, segundo um levantamento realizado pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Destes, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), cerca de 9 milhões são considerados microempreendedores individuais (MEIs). Esse número quebra um paradigma antigo, que dizia que para empreender era necessário ter uma alta quantia para investir. Para Edgard Leonardo, economista especializado em investimentos, o crescimento das mídias sociais facilitou a abertura de novos empreendimentos.

“As novas tecnologias abrem oportunidades de negócios digitais com uma fração dos custos de um passado recente. Abrir uma loja virtual hoje é uma realidade para pequenos empreendedores que, inclusive, podem atuar comercialmente utilizando-se de plataformas disponíveis, ou mesmo das redes sociais. Considerando apenas as faixas de renda até dois salários mínimos, temos quase 14 milhões de empreendedores em fase de criação ou estruturação de novos negócios (empreendedorismo inicial) “, enfatizou o economista. 

Mas empreender não é tão fácil quanto parece. Segundo Edgard, caso não haja disciplina, o empreendedor pode enfrentar graves problemas. “O empreendedor precisa, antes de tudo, ser alguém que é capaz de gerenciar bem suas próprias finanças pessoais. Do contrário, certamente, terá problemas. E com poucos recursos o espaço para erros é muito menor” destaca. Infelizmente é muito usual que pequenos empreendedores acabam misturando suas contas pessoais com as contas da empresa, gerando problemas sérios”, destaca o especialista. 

Outro problema que acomete muitos empreendedores, é a dificuldade de gerir todos os âmbitos do negócio, segundo Edgard. “É muito comum também que o empreendedor apresente muita competência nos aspectos relativos ao seu produto ou serviço. No entanto, tenha dificuldades nas áreas de venda e marketing, o que acaba gerando um impacto negativo nos resultados e frustrando as expectativas”, ressalta. 

Para driblar essa série de dificuldades, para Edgar, não existe mágica. O caminho para o sucesso é ter planejamento. “As dificuldades com as quais o empreendedor se depara são inúmeras. Falta de planejamento e controle financeiro são problemas comuns. Por isso, planejamento é a chave. Riscos sempre existirão, todavia ao estudar muito bem o mercado onde se pretende atuar, planejar a operação com muito zelo e atenção, além de estabelecer os necessários controles financeiros, certamente o empreendedor consegue minimizar tais riscos” finaliza o economista.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.