Funcionários bajuladores não são bem vistos no mercado

Atitude pode prejudicar ambiente de trabalho Foto: Freepik

Se você está ou pretende ingressar no mercado de trabalho deve ter cuidado com um tipo de funcionário muito comum nas instituições: o puxa-saco. Em um primeiro momento, esse profissional pode parecer inofensivo com suas bajulações ao chefe e a necessidade de se mostrar sempre um empregado acima do esperado. Porém, a longo prazo, a convivência pode tornar-se um empecilho para o andamento das atividades na empresa e até mesmo o clima entre os colegas ficar ameaçado. Mas esse tipo de comportamento pode ser combatido sem prejudicar os funcionários?

Precisamos conversar

Para Rodrigo Gaião, que trabalha como recrutador, funcionários bajuladores são fruto de uma falta de comunicação entre os gestores e seus encarregados.  “É, na minha opinião, a incapacidade de um planejamento estratégico por parte da empresa, onde os processos de feedback, desenvolvimento de carreira e visibilidade deveriam ser expostos de forma clara”, comenta. Para ele, esse tipo de comportamento é prejudicial por incentivar uma competitividade que não é saudável.  “O bajulamento é a competitividade com sua própria equipe e colegas”, reforça.

Clareza e transparência

Em um ambiente profissional em que o trabalho em equipe seja fundamental, o comportamento transparente dos funcionários é fundamental. “Bajular é extremamente diferente de um feedback claro e específico. A falta de clareza pode gerar possíveis atritos no grupo, fazendo com que o profissional puxa-saco comprometa o foco e união dos outros funcionários”, afirma Gaião, que chama atenção para a necessidade em adotar e alimentar esse tipo de postura.

“Não há motivos para dar continuidade a esse tipo de atitude. Caso sinta essa necessidade, é importante refletir, entender qual reforço você precisa buscar e assim desenvolver formas claras e estruturadas – junto com a pessoa responsável pela liderança – como mecanismo de manter expectativas bem definidas e evitar o comportamento bajulador, reforça.

Gentileza gera gentileza

Para combater esse perfil profissional o recrutador indica uma conversa clara e transparente sobre a postura que cada funcionário, mas sempre de forma tranquila, visando a manutenção do clima de amizade entre os colegas. “A gentileza tem clareza. É um desafio para o gestor fazer um feedback sincero, direcionado, específico e com objetivo de garantir visibilidade. Assim todos que foram responsáveis pela conclusão de um projeto, ação ou tarefas poderão ficar longe de uma atmosfera de animosidades” finaliza.

 

E você, o que acha de funcionários puxa-saco? Conta para a gente nos comentários!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.