Aprenda a definir um objeto de pesquisa

TCCConstruir um projeto de pesquisa será com certeza essencial para quem está no Ensino Superior. O projeto é base para desenvolvimento de artigos acadêmicos, trabalhos de conclusão de curso e para concorrer a vagas de pós-graduação, como mestrado ou doutorado, por exemplo.

Uma das partes fundamentais no desenvolvimento do projeto de pesquisa é a escolha do objeto que será estudado. O objeto precisa ser relevante não só para o pesquisador, mas para a comunidade acadêmica e a sociedade. Alanna Maltez, professora de Publicidade, observa que a principal dificuldade dos alunos na elaboração do projeto é na escolha do objeto. Uma vez que os alunos, segundo ela, têm noção do tema que desejam abordar, mas não sabem exatamente o que devem tratar.

Para que você não tenha dúvidas na hora de elaborar seu projeto de pesquisa, trazemos algumas dicas que te ajudarão na escolha. Confira!

O tema é diferente do objeto de pesquisa

Definir o objeto de estudo é algo que pode ser pensado em etapas. Primeiro vem a escolha do tema, para que depois seja escolhido o objeto. Para entender a diferença entre as duas etapas, é possível pensar no tema enquanto um “universo temático” a respeito de algo e objeto como uma particularidade que permite entender esse universo. Um exemplo dado por Alanna relativo a projetos de Publicidade é o seguinte: um dos assuntos que está em alta nos trabalho da área é a combinação de publicidade com entretenimento, então essa seria a temática. Dentro dela, o objeto seriam as ações publicitárias de uma determinada marca de refrigerantes que apresentassem publicidade combinada com o entretenimento, por exemplo.

É preciso delimitar o objeto de pesquisa

Não existe um padrão para a forma de delimitação do objeto. “Isso é uma questão pessoal do pesquisador e de entender quais são os objetos dentro daquele universo que são mais relevantes”, explica Alanna. Exemplificando, no projeto que trata da combinação de publicidade com entretenimento, é preciso se perguntar: “quais são as ações publicitárias mais importantes para entender a temática?”. As respostas podem ser: as que são feitas por grandes marcas, as de grande repercussão ou as que foram bem sucedidas. Cabe ao pesquisador analisar quais das três abordagens é mais relevante para o que pretende fazer.

Quanto mais específico melhor

O segredo é: quanto mais específico e compreensível for o seu objeto, melhor ele é. Uma vez que, se for muito amplo, pode dar margem para que você se desvie do que procura entender com a sua pesquisa. Além disso, é necessário fazer recortes de acordo com o objetivo da pesquisa. Por exemplo, supondo que aluno de publicidade queira adotar um critério temporal para estudar as campanhas da marca fictícia Refrigerantes Gourmet que relacionam publicidade e entretenimento, o objeto seria: as campanhas da marca Refrigerantes Gourmet veiculadas durante janeiro e fevereiro de 2017.

Você não precisa estudar algo inédito ou “grandioso”

Alanna Maltez ressalta a necessidade de compreender a graduação com início da carreira em pesquisa acadêmica. “Na graduação a gente não necessariamente precisa estar trabalhando com objetos inéditos. Isso tende a ser mais exigido quando a gente vai para outras etapas da vida de pesquisador. Sobretudo no doutorado essa questão de ineditismo é mais exigida”.

Contudo, isso não significa que objetos inéditos não possam aparecer. Alanna na sua vivência enquanto orientadora de projetos e TCCs, percebe que os alunos tendem a estudar o que está em alta. Por isso, pode ser que o trabalho seja sobre algo ainda não escrito. Ainda assim, esse objeto pertence a um campo temático que provavelmente já foi estudado anteriormente por outros pesquisadores.

Objetos iguais podem resultar em trabalhos diferentes

Existem alguns objetos que já foram muito pesquisados. No entanto, isso não significa que os resultados finais sejam iguais. Um projeto de pesquisa é composto por justificativa, objetivos, referencial teórico e metodologia. Esses itens costumam variar em trabalhos de pesquisadores distintos. Por isso, pesquisar sobre o mesmo objeto não significa pesquisar a mesma coisa. Além do fato de que ter trabalhos já realizados a respeito do que deseja tratar ajuda a construir o embasamento teórico do projeto.

Apesar de ser tão importante, o objeto da pesquisa não deve ser motivo de preocupação extrema. Tenha em mente as dicas dadas e quando não tiver dúvidas sobre exatamente o que ele é e sua relevância, você terá feito a escolha certa.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *