Procurando trabalho estando empregado? Confira os cuidados para não manchar a vida profissional

Vários são os motivos que levam alguém a buscar um novo emprego.

Falta de motivação ou reconhecimento, ausência de perspectiva dentro da empresa, remuneração baixa e instabilidade corporativa estão no topo da lista de quem deseja realizar essa transição.

Focados nesse objetivo, muitas pessoas lançam currículos e encaram seletivas mesmo empregadas.

No entanto, é importante ter parcimônia mesmo que a vontade seja grande de mudar de emprego e, assim, evitar constrangimentos com o atual chefe e instituição.

“Muitas vezes, movidos pela ansiedade de mudar de emprego ou áreas, as pessoas acabam passando por cima de algumas coisas. Por isso, é importante segurar a ansiedade e manter, por ora, essa busca em segredo até mesmo para os colegas de trabalho. Tudo isso para evitar comentários ou fofocas dentro do ambiente que o profissional deseja sair”, observa a consultora de carreiras Mônica Lira.

Seja discreto e não trate a mudança de emprego como leilão

“É comum as pessoas que estão em busca de uma nova empresa usarem o horário de trabalho para isso, visto que, é o horário comercial. Porém, é preciso ter cautela e ser discreto”.

Por isso, nada de usar o e-mail corporativo ou agendar entrevistas, mesmo aquelas on-line, no horário de trabalho. Para isso, consulte o banco de horas, tente marcar em um horário que não seja o do trabalho. Lembre-se, você ainda é contratado da instituição e pleitear uma nova vaga em outro lugar não é garantia de sucesso”, ressalta Mônica Lira.

Além disso, ela salienta que, para evitar constrangimentos, é importante ser ético. Logo, não há necessidade de falar sobre a empresa que atua ou criticar o atual chefe.

“Muitas pessoas esquecem que tudo ou quase tudo é avaliado durante uma seletiva. Falar sobre a empresa ou chefe de forma depreciativa ou irônica não é uma boa estratégia, mesmo que haja ruído na relação”.

Por isso, a consultora de carreiras lembra que a transição não deve ser tratada como leilão pelo profissional e que encarar desta maneira é um erro. “Para se sentir valorizado, o funcionário fala da remuneração com a finalidade de ter o valor ampliado. Mas, isso pode dar muito errado. Por isso, essa postura deve ser abolida”.

Fui descoberto. E agora?

“Se mesmo com todos os cuidados, a atual empresa descobrir que o funcionário está em busca de um novo emprego, não há motivo para pânico nem mentiras. Se houver abertura, promova uma conversa com os gestores, explique os motivos que levaram a essa busca. Muitas vezes, esse diálogo leva a uma mudança de postura e a empresa passa a olhar aquele funcionário de outra forma. Mas, nem sempre isso ocorre e não é indicado esperar por isso. Se a empresa não te valorizou até agora, por que faria isso neste momento?”, aponta Lira.

Para a consultora, a descoberta é quase que inevitável e, por isso, a forma como se lida com a situação deve ser trabalhada. “Não é porque se pretende sair da instituição que a gente precise ‘chutar o balde’. É sempre importante manter as portas abertas em qualquer lugar que se entra e sai”.


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.