Uma das profissões mais sonhadas: veja quanto pode ganhar um engenheiro

Muitos estudantes têm dúvidas sobre qual carreira seguir. A decisão às vezes precisa ser tomada ainda na escola e acaba sendo escolhida pela aptidão de cada para determinada matéria.

Um dos cursos mais concorridos, sobretudo entre os que têm habilidades com os números, é a engenharia. No Brasil, o Ministério da Educação (MEC) autoriza o ensino de 34 tipos diferentes, no entanto, no mundo todo mais de 100 especialidades podem ser encontradas. É uma profissão bem remunerada, a depender do tipo de trabalho.

De acordo com a coordenadora dos cursos de Engenharia da UNINASSAU, Adriane Mendes, os vencimentos mensais estão atrelados a diversos fatores. “O salário do engenheiro vai depender muito se ele é professor, se ele trabalha em indústria, em empresa, em capacitação ou em orçamento. Depende do tipo de engenharia, a remuneração varia de acordo com cada uma”, afirma.

Atualmente, os profissionais devem receber conforme carga horária e tempo de formação a depender do seu cargo na empresa (que pode variar entre pleno, júnior ou sênior). A Lei 4950-A, de 1966, estabelece um piso mínimo profissional para engenheiros, sem detalhar a especialidade. De acordo com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia, Confea, são 6 salários mínimos (que hoje equivale a cerca de R$ 6 mil), para cada 6h trabalhadas. A cada hora acima disso o engenheiro recebe 25% a mais no salário, ou seja, se um pessoa for contratada para trabalhar 8h, por exemplo, ela pode receber até R$ 8.483,00. “Não existe uma tabela que diga o mínimo ou o máximo. O conselho estabelece um piso e o mercado aplica”, diz a coordenadora na UNINASSAU.

Em alguns sites que ofertam vagas de trabalho há anúncios para os mais diversos cargos dentro da profissão. Oportunidades para área de civil, em pelo menos 10 estados do país trazem remuneração variante de R$ 4.387,00 a R$ 10.711,00. Já para os engenheiros de produção, o salário médio básico ofertado nos anúncios é de R$ 6.984,00. Quem está em busca de uma colocação no mercado da engenharia da computação poderá encontrar empresas que pagam a partir de R$2,5 mil para início de carreira e até vagas com salário de R$11 mil para profissionais no auge. Já para os formados em engenharia elétrica, o mercado paga em média R$ 5.902,73.

Se ainda tem dúvida de qual profissão seguir, a coordenadora Adriane Mendes explica a missão dos engenheiros. “Sem o engenheiro uma cidade não cresce. Nem uma indústria funciona, você é obrigado a ter engenheiros em todos os patamares de serviços, dentro de um município, dentro de um estado, dentro da federação. a profissão de engenharia estimula o crescimento nas nações. É a mola mestra para o desenvolvimento acadêmico, científico e tecnológico”.

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.