Trabalho remoto ou home office: em qual modelo laboral você está?

Nos últimos quatro meses, muitos profissionais tiveram suas rotinas institucionais modificadas por conta da pandemia do novo coronavírus. Algumas empresas, principalmente dos setores de serviços não essenciais, adotaram o regime de trabalho home office ou remoto. 

Por mais que sejam apresentados como a mesma coisa, os dois modelos são distintos. No entanto, ainda há dúvidas ao defini-los e não é difícil encontrar pessoas que não sabem ou acreditam que não existe essa distinção entre as duas modalidades de trabalho.

A especialista em Recursos Humanos e docente do grupo Ser Educacional, Irenilda Barbosa, apresenta pontos de cada modelo. Confira as informações e descubra em qual modalidade você trabalha.

Home office

Esta modalidade não é novidade para alguns profissionais e empresas. Entretanto, o termo se popularizou durante a crise sanitária. “Neste modelo, o colaborador recebe os recursos necessários, tanto tecnológicos quanto treinamentos, para desenvolver as atividades em casa, como o próprio nome sugere”, ressalta Irenilda. 

Além disso, ela salienta que o home office necessita de uma agenda, conectar-se com clientes ou instituição onde trabalha, em determinados horários, prestar conta das atividades executadas ao longo do expediente e ir, pelos menos uma vez na semana, ao local de trabalho “para reunir-se com a equipe, superiores, traçar estratégias e falar sobre o que está sendo feito ao longo da semana, ter direcionamentos”, complementa.

Leia também: Home office: a tênue linha entre o privilégio e o desafio

Trabalho remoto

Diferente do home office, no trabalho remoto, nem sempre, os trabalhadores dispõem dos recursos para execução das atividades laborais em casa, “não estamos no melhor ambiente, ou seja, um ambiente preparado, adaptado, com uma estrutura necessária para um trabalho laboral de qualidade. Estamos trabalhando em casa no meio familiar, em que, por exemplo, o esposo também está trabalhando em casa, o filho também está dentro de casa. Ou seja, este não é um ambiente para trabalho home office, mas um lugar adaptado para um trabalho remoto, um trabalho à distância”, explica a docente. 

Afinal, estou trabalhando home office ou remotamente?

“A grande diferença entre as duas modalidades está na impossibilidade de deslocamento, uma vez na semana, para realização deste trabalho presencial com o time. Na verdade, estamos trabalhando no formato remoto, ou seja, à distância”, aponta.

Ela reverbera que, no contexto de pandemia, os trabalhadores se viram obrigados a trabalhar em casa sem muitos recursos ou estrutura.

“Não estamos trabalhando com o modelo home office, em que a maioria das empresas, que adotam esse formato, mandam para casa dos colaboradores ou procuram saber se o trabalhador ou trabalhadora tem uma estrutura de mesa, cadeira adaptada para a necessidade de trabalho home office. Caso não o tenha, a empresa disponibiliza isso como um kit de boas-vindas, uma mesa, uma estação de trabalho [cadeira adaptada, notebook, telefone corporativo, internet, uma série de recursos para que esse colaborador possa desempenhar as atividades na residência”, esclarece a especialista.

Assim, por mais que pareçam modalidades semelhantes, cada uma tem sua particularidade e forma de execução. No contexto de pandemia, coube ao colaborador adaptar-se às necessidades do momento. 

Leia também: Em tempos de pandemia, o que será do trabalhador?


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.