WhatsApp como forma de estudo: saiba como não perder o foco nos grupos

Usar o aplicativo de mensagens pelo celular pode ser benéfico

Usar o aplicativo de mensagens pelo celular pode ser benéfico

Basta fazer uma rápida busca no Google sobre “grupos de estudo no WhatsApp” que você logo vai encontrar inúmeras notícias referentes ao assunto. Cada vez mais, estudantes estão criando os famosos grupos para uma utilização que vai além do lazer: o foco nos estudos. Mas, para conseguir administrar com cautela o aplicativo, é preciso ser centrado e elencar as prioridades.

Logo quando se entra no ensino superior, um dos primeiros atos é criar o grupo da turma. Lá, os alunos conversam sobre os assuntos em comum entre eles, principalmente referentes às aulas. Antes ou depois de cada ensinamento, são colocados os materiais utilizados na classe, além poder ser prolongada uma discussão ou um debate sobre o tema abordado no dia.

Benefícios

Toda essa interação, mesmo que por meios tecnológicos, é benéfica para o aluno. Segundo o professor Auvani Antunes, do curso de Biomedicina da unidade Campina Grande da Faculdade Maurício de Nassau, “o diferencial do aplicativo é lançar mão de maneira rápida de uma discussão, um debate, de conteúdos extras”.

Leia também: Cinco dicas para organizar a sua rotina – e tirar melhor proveito dela

“É quase uma sala EAD via WhatsApp”, complementa o docente. Antunes ainda explica que não existe de limitação de propagação de conteúdos por meio do aplicativo. Antes, certas informações eram dosadas até mesmo por antiguidade tecnológica, já que certos equipamentos não eram propícios para envio de arquivos, áudio, vídeos e/ou fotos, mas agora com a rapidez do serviço de mensagens instantâneas, não há justificativas para o não compartilhamento desses conteúdos.

Cuidados

Mesmo com todos esse benefícios é preciso ter cuidado. Por ser um aplicativo que praticamente todo mundo que tem acesso a smartphone tem, sabe-se que a dispersão por conta das conversas paralelas é alta. Por isso, o uso do software deve ser cuidadoso.

“Não se pode esquecer que o WhatsApp é um complemento da aula, que o principal é estar atento aos canais de comunicação e de difusão de conteúdos disponibilizados pelos professores”, explica Antunes. Além disso, os estudantes – nem ninguém – podem virar “escravos” do aplicativo. A tecnologia deve ser utilizada em benefício.

Participação dos professores

“É interessante que alguns docentes participem de maneira informal, numa conversa, da discussão com os alunos”, sugere Auvani Antunes. Quando explica isso, Antunes se refere a evitar que a “cobrança” acadêmica ultrapasse o momento de sala de aula.

De acordo com o professor, o ideal é que os debates sobre os temas abordados em sala de aula se naturalizem e virem um diálogo que seja parte da bagagem de vida e aprendizado do estudante.

Gostou das dicas? Conte pra gente!

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Boa noite, gostaria de participar do grupo ; pra estidos

    • LeiaJá disse:

      Boa tarde, Cristiane! Tudo bem?

      Procure no Facebook grupos da sua área de estudo e solicite entrada. Lá você poderá saber se eles possuem algum grupo com esse objetivo também no WhatsApp.

      Esperamos que tenha te ajudado. Boa sorte no seu caminho de aprendizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.